458112

No final do ano passado, a Food and Drug Administration (Administração de Comidas e Drogas dos Estados Unidos, FDA) mudou sua forma de pensar sobre os sabonetes anti-bacterianos e nos alertou sobre esses itens. Acontece que após décadas de pesquisa, não ficou claro que o triclosan, substância usada como ingrediente ativo nos sabonetes para exterminar bactérias, é realmente mais eficaz do que o sabonete comum.

As marcas terão até 2016 para provar que compensa optar por esses sabonetes, do contrário terão que retirar os produtos das prateleiras nos Estados Unidos e isso deve afetar os brasileiros também. Mas talvez não devêssemos esperar até lá para suspender o uso desses produtos, pois o Smithsonianmag reuniu alguns artigos para nos convencer a tirar esse item de nosso banheiro.

1. Sabonetes antibacterianos não são mais eficazes do que o sabão convencional e água . Conforme o relatório da FDA, as pesquisas não produziram nenhuma evidência de que o triclosan fornece quaisquer benefícios para a saúde, em comparação com sabão à moda antiga.

2. Sabonetes antibacterianos tem o potencial para criar as bactérias resistentes aos antibióticos . O uso pesado de antibióticos pode fazer com que a resistência, o que resulta de um pequeno subconjunto de uma população de bactérias com uma mutação ao acaso que permite a sobreviver à exposição à substância química. Se esse produto químico é usado com freqüência suficiente, ele vai matar outras bactérias, mas permitir que este subconjunto resistente a proliferar. Se isso acontecer em uma escala suficientemente grande, pode essencialmente inutilizar esse produto químico contra a cepa de bactérias.

3. Os sabonetes poderiam atuar como desreguladores endócrinos.  Uma série de estudos  descobriram que, em ratos, sapos e outros animais, triclosan parece interferir com a regulação do corpo de hormônio da tireóide, talvez porque se assemelha quimicamente o hormônio de perto o suficiente para que ele possa se ligar a seus sítios receptores. Se este é o caso em humanos, também, há preocupações de que poderia levar a problemas como a infertilidade, artificialmente avançado puberdade precoce, obesidade e câncer.
4. Os sabonetes pode levar a outros problemas de saúde, também . Há evidências de que crianças com exposição prolongada ao triclosan têm uma maior chance de desenvolver alergias, incluindo a alergia a amendoim  e febre do feno. Os cientistas especulam que isso poderia ser resultado de uma menor exposição a bactérias, o que pode ser necessário para o bom funcionamento do sistema imunológico e desenvolvimento .

5. Sabonetes antibacterianos são ruins para o meio ambiente.  Quando usamos um monte de triclosan em sabão, o que significa uma grande quantidade de triclosan fica lavada pelo ralo. Pesquisa mostrou que pequenas quantidades do produto químico pode persistir após o tratamento em estações de águas residuais, e como resultado, as pesquisas USGS tem frequentemente detectado em riachos e outros corpos de água. Uma vez no ambiente, o triclosan pode perturbar as algas na sua capacidade de realizar fotossíntese.

A marca de sabonetes mais popular no Brasil, a Protex, não usa o triclosan em sua fórmula. Procurada pela HB, a marca disse que “a prova da eficácia de Protex foi analisada e aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)”. Acontece que é usada na fórmula dos sabonetes o triclocaban, um ingrediente que pode fazer mal a bebês. A marca não se pronunciou sobre esse assunto.

O que fazer para substituir?

1

Uma boa opção é álcool em gel. Se você é daquelas pessoas que sentem a necessidade de manter a mãos livres de bactérias, pode aderir por álcool em gel. Além de ser mais prático porque pode ser feito em qualquer lugar.
Mas o álcool em gel não substitui a lavagem por não remover totalmente a sujeira.

Minha dermatologista mandou eu suspender de vez o uso porque eu estava tendo dermatites constantes, ou seja, irritação na pele. A explicação que ela me deu foi porque o sabonete estava tirando bactérias importantes para a proteção da pele.

Aqui o anuncio da FDA sobre os riscos. E a
qui está o relatório completo da FDA sobre as pesquisas do triclosan.

Todas as fontes estão em links durante o texto. A minha preocupação em passar informações comprovadas é primordial para consolidar um jornalismo científico digno de sua leitura.