size_810_16_9_homem_negro

Engana-se quem pensa que os homens não estão dispostos a experimentar produtos além do pós-barba. Enquanto você acha que os cuidados do corpo estão restritos ao público feminino, o mercado brasileiro de estética masculina já ocupa o segundo lugar no mundo, podendo chegar ao topo até 2019.

Cada vez mais os moços estão deixando a vergonha de lado e exercendo sua vaidade. Mesmo com a atual crise política nacional, a Euromonitor Internacional mostra que em 2015 a indústria de higiene masculina cresceu 10% com relação ao ano anterior. Ao total, foram R$21,6 bilhões futurados.

O setor que mais fatura ainda é o de lâminas de barbear. Mas o fenômeno de cultivar a barba tem colocado o trabalho das navalhas em segundo plano. Wilson Mendes, da Barber Boss, diz que, por exemplo, as usa para delinear a barba dos clientes na barbearia. Além de desenhar, os barbudos também buscam cortar, hidratar e até moldar os pelos.

Wilson conta que sentiu a necessidade de criar um espaço exclusivo para o homem. Ele acredita que o costume de ir à barbearia tenha praticamente desaparecido com a opção de fazer a barba em casa, então ele quis resgatar esse hábito através de um ambiente simples, tradicional e só para eles. O primeiro espaço foi aberto em 2011 e hoje já são três em Salvador. “Pretendo expandir para outros estados”, almeja.

A Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) afirma que não só os produtos para barba, mas também outros artigos têm ganhado espaço no banheiro dos rapazes, como produtos para cabelo e banho.

O professor Luiz Pancotti integra o grupo dos caras que gostam de se cuidar. Ele relara que passou a se cuidar por influência de sua companheira. Foco nas longas madeixas loiras que são cuidadas com dois tipos de shampoos, leave in e máscara de tratamento. No rosto, adstringente e óleo específico para controlar o sebo. Creme de depilar e pomada fazem parte de sua rotina para barba. E no corpo, ele não abre mão de seu sabonete de castanha do Pará.

Apesar do bilhões que o setor fatura anualmente, acredita-se que esse número seja ainda maior porque os dados computam apenas os produtos segmentados para o público masculino. Mas há todo um grupo de rapazes que consumem artigos voltados para as mulheres e não veem nenhum problema nisso. Luiz, por exemplo, prefere usar as coisas da esposa porque não encontra muita variedade nas linhas masculinas.

Para aqueles que são mais desconstruídos socialmente, podem se aventurar com maquiagem também. Lembra quando eu falei que não ia demorar muito para aparecer uma marca para os meninos? Em colaboração com a MAC Cosmetics, os irmãos Peter Brant III e Harry Brant lançaram uma linha com 13 itens, entre eles, sombras em tons neutros, batons com cobertura leve, contorno, iluminador e até lápis de olho. A coleção foi lançada mês passado nos Estados Unidos e praticamente já esgotou na loja online. Aqui no Brasil, os produtos chegam a partir de setembro.

Os garotos são filhos modelo da Stephanie Seymour e do bilionário Peter M. Brant e fazem parte da high society de Nova York. Sempre tiveram muita liberdade para assumir seu estilo e abusar um pouquinho mais da maquiagem. Mas para quem quer corrigir imperfeições e melhorar o aspecto da pele sem aparentar muito, eu fiz um tutorial completo explicando como fazer uma pele invisível: